terça-feira, 6 de agosto de 2013

O cara que escrevia "a gente" junto

Depois de ouvir muitos carões da terapeuta resolvi botar toda essa história, que está me consumindo, para fora pela última vez. Nada de textos bonitos ou romantizados, só uma história crua e real. (Vou escrever sobre vc pela última vez.)

 Em uma festinha na casa de amigos reencontrei esse cara, que eu conhecia de vista do colégio e por quem nunca tive nenhum interesse especial, talvez numa festinha de aniversário no início da adolescência quando arranhei ele sensualmente, coisa de adolescente, adolescente bêbado. Enfim... como antes ele não me despertou nada, eu ainda tinha uma carinha do carnaval na cabeça, mas as pessoas criaram um clima com risinhos e indiretas, então eu olhei pra ele e ele cresceu, e como cresceu. De menino a personal, mas que ainda não mexia comigo.

 Depois disso ele puxou conversa, falou um monte no Facebook e foi um show de "agente" junto, "mim comer", e outras peculiaridades linguísticas, e eu pensei "Não mesmo!", ainda assim havia a perspectiva de um próximo encontro com esse grupo de amigos em comum, mas que acabou sendo cancelado, então ele me chamou pra sair, só nós dois, eu disse preciso pensar e ignorei, pq não me imaginava saindo só com ele, mas umas horas depois recebo no celular "ainda pensando?" e dei um sorriso. (Tá vendo cara, como foi vc quem começou!?) Resolvi dizer sim, combinamos pro sábado, mas ele disse que me ligaria antes para combinarmos, mesmo já estando tudo combinado, e foi uma ligação de uma hora com ele me contando como era sua família, sua vida, coisas que de acordo com ele eu "precisava saber".

Saímos e o papo não foi grande coisa, mas a gente sempre acha que com o tempo vai desenrolar, o problema é que o que não rolou de papo rolou de atenção, (e como vc me tratou bem e com paciência e com carinho. Me derreti e dei pra vc). O sexo não foi dos melhores, ele tinha uma necessidade de mostrar força, virilidade, mas eu tb entendi, eu sempre entendo tudo e depois explicou que na primeira vez fica preocupado com o que vão pensar da sua "performance", bobagens de meninos, mas que eu, como tudo, tb entendi.

 Os dias se passaram com conversas puxadas todos os dias, como não havia muito assunto além de "ai que trabalho chato" ou "ai que preguiça de trabalhar" vc falava de sexo, o que me deixou um pouco tímida no começo, mas o que melhorou nosso desempenho na cama em 1000% (E a gente começou a pegar fogo, cara, e vc gostava disso, eu sei que gostava). Mas estranhamente ele começou a me dá satisfações. Ligações pra me contar onde tava, com quem tava, etc etc etc, (não pedi nada disso, mas vc me deu e eu retribuí). E aí foi um pulo para conhecer meus amigos e eu esperar encontros e sentir saudade. Só que em troca eu comecei a receber frieza, distanciamento e eu simplesmente parei de entender tudo. (E com isso fiquei ansiosa e te contei que estava me envolvendo e vc disse que ainda não sentia o mesmo, mas que podia sentir e sofri por vc pela primeira vez, mas com as esperanças que vc me deu)

Então viajei um fim de semana com minha família, quando voltei recebi um "tô com saudade", mas uma postagem dele no Facebook me dizia que tinha alguma coisa errada, que ele tinha conhecido alguém, e eu esperei ele me contar... em um dia ele me falava que teria sido ótimo passar o fim de semana sem meus pais e literalmente no outro dia me contava que tava ficando com outra garota a uma semana e queria ser "honesto" (olha, cara, pra mim ser honesto é ser homem e vc não foi isso, então sofri por vc pela segunda vez).

 Com essa fiz o que sempre faço, chorei calada, fiquei na minha e desejei felicidades (e vc disse obrigada por desejar felicidades ao meu relacionamento, e isso doeu). O problema é que ele fez o contrário, entrou numa de curtir TODAS as minhas postagens e fotos, Facebook e Instagram, uma coisa que não fazia nem quando estávamos juntos e queria continuar com os nossos papos mais quentes, eu cortei tudo, pq não queria me machucar mais e ele parou, mas voltou e parou e ficou me torturando por algum tempo. Eu não disse mais nada pq não queria ficar ainda mais humilhada, mais por baixo, então deixei rolar, mesmo com um nó dentro de mim.

 Um dia então do nada ele me conta que não tá mais com a garota, e pq? quer voltar? Não, só queria me enlouquecer. Continuaram as curtidas e conversinhas esporádicas, então em uma madrugada, bêbada, conversamos e ele falou em saudade, que se arrependeu do que fez, que trocou uma mulher por uma criança, queria me ver e eu fui, para depois ouvir "é só amizade, vamos nos falando". Uma semana e nem um oi mais.

 (Vc venceu cara, ficou por cima, parabéns pra vc, mas o que vc ganhou com isso? Pq mesmo me levando como um dos seus troféus, quem perdeu uma mulher bacana foi vc. Eu ainda estou aqui querendo acreditar que vc não é um canalha e te odiando pelo que fez comigo, mas isso vai passar e uma hora me encontro e encontro o que quero. E vc vai ficando com as suas menininhas água com açúcar, que amam seus músculos como eu amei, mas que amam SOMENTE, e nem perdoam o seu "a gente" junto, pq nem sabem mesmo qual a diferença, isso pq são tão superficiais quanto vc e uma hora vc vai cansar e elas tb vão cansar, mas eu já não vou está mais escrevendo sobre essa história, que nem merecia ser escrita, mas tá aqui, é a ultima vez que escrevo sobre vc. )

Um comentário:

♥Fabi♥ disse...

Oi, escrever é sempre bom, é um meio de nos libertarmos. Dizem que quando você tem um sonho ruim e conta pra alguém, a má impressão do sonho ruim vai embora e você se sente melhor. Acho que escrever é isso. É desabafar. É deixar ir embora a má impressão. Aos poucos você vai ficando bem outra vez.

Fique bem,
Bjs